Tudo Bem Se Não Estiver Tudo Bem

Depois de morar dois anos na Califórnia, em 2014 eu estava pronto pra voltar pro Brasil. Eu sabia que aqui era o meu lugar! A expectativa era tão grande, que eu me lembro de contar os dias para novamente pisar no meu Rio de Janeiro! Deus tinha colocado a minha própria cidade em meu coração e eu não via a hora de começar uma nova etapa.

A chegada foi muito melhor do que eu esperava: em meu primeiro dia eu consegui um emprego temporário e com o tempo fui revendo familiares e amigos, matando a saudade da comida, iniciando uma nova rotina e até fui abençoado financeiramente por um casal que eu conheci lá fora. Não tinha como estar melhor!

Esses foram os quatro primeiros meses.

Pois da mesma forma em que todas as portas se abriram juntas, assim elas se fecharam.

Eu sei que no fundo eu sempre soube que algumas escolhas que eu estava tomando não iam exatamente pra onde Deus queria me levar, mas elas eram mais convenientes aos meus olhos naturais.

Então por mais que eu tentasse fazer tudo certo, tudo começou a dar muito errado de uma forma que eu realmente não esperava.

Com isso, nos meses seguintes, a minha perspectiva começou a ficar muito embassada pela desesperança e uma onda de frustração começou a ganhar espaço. Eu realmente gostaria de dizer que eu estava chateado, mas isso nem chega perto de dizer como eu estava me sentindo. Era além disso!

Mas eu não admitia.

Me senti muito machucado pelas coisas que ouvi e por algumas decisões que me afetaram e por isso eu comecei a ter muita dificuldade de confiar nas pessoas. Então eu não me dava a liberdade de ser vulnerável, porque “de jeito nenhum eu vou dar sinal de fraqueza. É agora que eu preciso mostrar que eu sou durão”, eu pensava. 

Assim eu levava um sorriso no rosto como uma máscara para disfarçar a minha realidade. Eu dizia que andava em fé, quando estava em total negação.

Até que eu comecei a notar que o desapontamento que eu carregava começou a se tornar em amargura e isso estava me transformando em uma pessoa bem diferente da qual eu sempre fui, me dando uma visão muito negativa de tudo e de todos. Eu comecei a perceber que o Gabriel que acordava todo dia como se fosse o melhor dia queria apenas passar o dia todo quieto no quarto, sem ser incomodado.

Sim, eu estava em crise.

Por isso comecei a procurar em mim mesmo diversas formas de melhorar a minha situação; ou então ficava relembrando do passado para desvendar o que eu poderia ter feito diferente para tentar reparar algum dano que eu talvez tivesse causado. Mas quanto mais eu tentava, mais eu sentia me afundando.

Foi então que eu pensei que sair do país seria uma boa ideia., pois se fosse pra recomeçar, era melhor fazer isso na Europa ou nos Estados Unidos. Afinal, eu já estava acostumado com a distância. Então comecei a procurar algumas oportunidades, mas percebi que essa opção não seria para avançar, e sim uma válvula de escape, uma maneira de fugir.

Também tentei comparar a minha dor com a de outras pessoas. Afinal, tinha muito mais gente no mundo que parecia estar numa situação bem pior do que a minha. Mas isso também não deu certo, porque ainda assim era uma dor legítima o que eu estava sentindo.

Nesse momento eu estava em “modo desespero” e muito cansado.

É claro que eu conversava com Deus, mas parecia que as orações não passavam do teto.

Até que eu precisei tirar a minha máscara, deixar o meu orgulho de lado, fechar o porta do meu quarto e dizer pra Deus palavras que estavam entaladas em minha garganta. Palavras que eu prefiro não reproduzir aqui. Palavras de um filho que estava se sentindo muito abandonado, por mais que eu soubesse que aquilo não era verdade.

E depois de colocar todo o lixo pra fora, eu simplesmente senti o Espírito Santo me dizendo com muito amor: “agora sim eu posso fazer algo por você. Por que como eu poderia ajudar alguém que não tinha um problema?”

Sério?! Depois de liberar todo o meu rancor com alguns bons palavrões, era assim que Ele me respondia?

Eu esperava mais um “você precisa limpar sua boca, filhinho”.

Mas não foi essa a Sua resposta. Tudo o que Ele queria é que a nossa relação fosse transparente. E eu estava tão decepcionado que eu não conseguia ver isso.

Ele conhecia o meu coração, assim como Ele conhece o de todos nós. Mas Deus entregou Jesus Cristo para que tivessemos um relacionamento íntimo com Ele. E muitas vezes tentamos vestir nossas próprias máscaras diante de Deus como medo do que Ele pode pensar se nos expormos. E, talvez, por isso muitos deixam de avançar para viver a plenitude daquilo que Deus tem pra eles.

Ele não tem medo dos seus podres porque muitas vezes os seus podres são por consequência do medo. Ele é aquele que traz liberdade plena, porque Ele é amor e o verdadeiro amor lança fora todo medo.

E foi na dor que a Sua graça me levou a um lugar que eu jamais poderia ir sozinho. Foi aonde eu descobri o que era viver uma vida onde a ofensa não tem mais espaço, na confiança plena de que o meu Pai está me guiando e cuidando de mim, em cada uma das minhas necessidades.

Porque, por exemplo, se você expremer uma maçã, você vai ter suco de maça. Se você expremer uma laranja, vai ter suco de laranja. Da mesma forma, quando as circunstâncias vierem nos pressionar, Cristo precisa ser refletido através de nossas vidas! 

Você vai passar, sim, por desafios. Mas eu repito as palavras de Paulo: “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus.”

Pois tudo o que eu precisava era parar de tentar agir pela minha própria força em relação aos meus problemas e admitir que eu não estava bem, preenchendo a minha mente com a realidade do Reino.

E foi na minha fraqueza, que Ele me fez forte, me capacitando para lidar com as desafios que surgem na minha frente, vivendo e liberando o Seu amor de forma sobrenatural através de um relacionamento cada vez mais íntimo, vivendo em total liberdade!

E isso é algo que está disponível para todos! 

Você só precisa se entregar, sem medo.

COMPARTILHE ESSE TEXTO! 
Eu tenho certeza de que ele pode impactar alguém que você conhece!

12976854_1144084505624416_4504383907097072953_o

Leia também:
Me desculpe se a igreja te machucou
Como encontrar alegria durante o processo
Até que ponto confiar em Deus?

facebookcomentario

 

7 comentários sobre “Tudo Bem Se Não Estiver Tudo Bem

  1. Wow! Que testemunho edificante, veio no momento oportuno. Deus nos convida a sermos intimos dEle, a ponto de “sem vergonha” falar o que sentimos, apesar de que Ele já sabe o que iremos falar antes mesmo que as palavras saiam de nossa boca é necessário essa confissão de fé, onde depositamos nossa confiança nEle.
    Deus abençoe sua vida!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s