Networking Gospel: Amizade Sincera ou Mera Politicagem?

networkingQuanto mais a minha página se desenvolve e o blog cresce, mais eu percebo algo interessante: o crescimento do número de pessoas aleatórias que compartilham links de ministérios por mensagens privadas pedindo para “dar uma forcinha”.

Amigos, me respondam uma coisa: tenho cara de outdoor? haha

Brincadeiras à parte, é claro que eu amo conhecer gente nova, novos projetos e ver aquilo que Deus tem feito no meio do Seu povo. É claro que eu também amo ministrar nas igrejas e compartilhar com as pessoas aquilo que Deus tem colocado em meu coração pra essa geração.

Mas, quanto mais eu avanço, mais eu percebo que as melhores conexões são feitas à mesa, de preferência tomando um bom açaí. Pois à mesa eu já passei por momentos em que me surpreendi positivamente com pessoas que carregavam doutrinas completamente diferentes da minha, mas que também já me frustrei com outras ao ouvir o coração por trás das ações.

Acredito que foi assim que surgiu uma frase que eu sempre digo para aqueles que caminham comigo: “Não se impressione facilmente com uma pessoa por causa de seu dom, porque dom não revela caráter.

Porque assim como já encontrei muita coisa boa à mesa, também já encontrei muita carnalidade: “homens e mulheres de Deus” que só sabem falar  de seus ministérios pessoais, dos materiais vendidos, de dinheiro, das agendas que eles precisam organizar e cumprir, dos likes que as suas fotos ganharam e dos compartilhamentos que os seus vídeos tiveram, da visibilidade que eles teriam perto de tal pessoa, fofoca, politicagem e assim por diante, como se a igreja fosse um grande mercado.

Ah, Gabriel, é assim mesmo…” – me desculpe, mas só é assim se você permitir. Ainda mais se você for um líder em uma igreja, movimento ou comunidade. Você tem responsabilidade de fazer algo diferente.

Porque quando Paulo viu Pedro bancando a falsiane (Gl2:11), ele não quis saber se Pedro tinha caminhado ao lado de Jesus em sua jornada na Terra; e também não deu um sorriso amarelo e passou a mão em sua cabeça como se a sua atitude fosse normal; mas no mesmo instante repreendeu a sua hipocrisia, porque afetava pessoas a quem ele amava.

Eu entendo que aqueles que trabalham integralmente para a Igreja têm compromissos financeiros a serem cumpridos como qualquer pessoa. Mas qual seria o limite?

Porque é com esse contexto que eu já ouvi diversas vezes: “Você tem que fazer conexões, Gabriel“. 

Sim, eu amo conexões! Eu amo conexões porque eu amo pessoas e suas histórias, seja quem for. Mas amo conexões divinas e não conexões forçadas. Eu amo fazer amizades sinceras onde os propósitos se alinham e não conexões onde “fulado conhece beltrano que vai te ajudar a chegar a algum lugar”.

Afinal, não é assim que deveria de ser?!

Porque se “fazer conexões” é entrar num ciclo onde o que reina é a troca de favores e de interesses egocêntricos, eu posso dizer que é melhor continuar ganhando uma pessoa por vez, cuidando daqueles que Deus tem te dado, fazendo culto nas casas, ministrando a céu aberto, na praia, nas praças e assim por diante, do que corromper o seu coração a entrar em um lugar onde você fica sedento por crescer em influência, perdendo o foco da Presença e do que realmente importa.

Então rola sim trocar uma ideia, estar junto e conversar sobre as coisas do Reino, mas não rola um “me segue que eu te sigo de volta”. Besteira!

Porque eu acredito que precisamos buscar andar em unidade, sim, e crescer nisso. Estamos aprendendo. E existe tanta gente incrivel com as quais podemos caminhar! Mas se as nossas conexões se estendem a mera troca de plataformas, meu amigo, Jesus acaba sendo vendido a preço de banana.

Leia também:
Por que a culpa é sempre de Deus?
4 Dicas Para Um Evangelismo Sobrenatural
– Como encontrar alegria durante o processo

facebookcomentario

2 comentários sobre “Networking Gospel: Amizade Sincera ou Mera Politicagem?

  1. Amém meu irmão. Gostei muito do texto, especialmente do sentar-se a mesa para realmente conhecermos as pessoas como elas são de fato. Infelizmente muitos querendo uma oportunidade de pregar ou mesmo se tornarem pastores ou líderes, usam de politicagem gospel e não de amizade sincera em Cristo. Falta-nos mais amizades e conexões como Jônatas e Davi, que queira ver o outro crescer, bem e avançando ao mesmo tempo em que avançamos juntos com ele. Temos infelizmente muitos como Ananias e Safira, Acabe e Jezabel, Caim e tantos outros maus exemplos.

    Curtido por 1 pessoa

    • Filipe, acredito que esse é o maior desafio nos relacionamentos dentro da igreja e ministérios. Temos que sempre cuidar do nosso coração para não vivermos em um eterno lugar de desconfiança, mas ser prudente em relação aos interesseiros. Que Deus continue te guiado e te orientando para que cada vez mais você encontre amizades sinceras!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s